terça-feira, julho 29, 2008

João Gostoso bebeu, cantou e dançou antes de se atirar na Lagoa Rodrigo de Freitas. E a notícia de sua morte se fez poema em Manuel Bandeira.


Poema tirado de uma noticia de jornal


João Gostoso era carregador de feira-livre e morava no morro da Babilônia num barracão sem número
Uma noite ele chegou no bar Vinte de Novembro
Bebeu
Cantou
Dançou
Depois se atirou na Lagoa Rodrigo de Freitas e morreu afogado.

Manuel Bandeira
(1886-1968)

Mais sobre Manuel Bandeira em
http://pt.wikipedia.org/wiki/Manuel_Bandeira

4 comentários:

Murilo Produções disse...

Muito bom esse poema!
...pura crítica social parabéns à Manuel Bandeira grande visionário!!!

Anônimo disse...

nao tem nenhuma rima,se a minha professora que e otima em poema e poesia ia achar isso horrivel me desculpe mas nao gostei e isso e uma critica!isso e bom para uma historia mas para um poema nao muito,falo isso pois sou experiente fiz poema por muitos anos e adoro isso mas ta bom seu poema parabens!

Daniel disse...

João tinha uma vida gostosa ? CARREGAva a DOR sendo prisioneiro de um lugar que seria LIVRE. Enfrentava um BARRA, vida de CÃO. O João era apenas um João qualquer, sem número, sem identidade. Bebeu VINTE NOVE, cantou alguém ? ou apenas cantou ? dançou pelo salão ? dançou com sua atitude de cantar ? Morto por um aTIRO, jogado na Lagoa Rodrigo de Freitas, bairro Nobre. Com tanto bares no morro, por que João foi beber próx a Lagoa ? possivelmente morreu do tiro de uma arma de aFOGadO

Anônimo disse...

Legal essa sua cimposição Daniel!